Rondônia,21/04/2018
DESTAQUESPecuária

Aumentam as exportações de carne bovina de Rondônia

O acumulado das exportações de carne bovina de Rondônia, até novembro de 2017, passa de US$ 511 milhões. O faturamento é 14{b160333f6ceb1080fb3f5716ac4796e548b167cdf320724da9e478681421f6da} superior a todo o valor exportado em 2016. Em volume, o estado embarcou 138.766 toneladas, aumento de 9{b160333f6ceb1080fb3f5716ac4796e548b167cdf320724da9e478681421f6da} na comparação com todo o ano passado.

Os números são do sistema Agrostat (Estatísticas de Comercio Exterior do Agronegócio Brasileiro), do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa).

A carne bovina desossada e congelada foi o destaque, respondendo por 41,09{b160333f6ceb1080fb3f5716ac4796e548b167cdf320724da9e478681421f6da} de toda a pauta de exportação de RO. Já os embarques de carne desossada fresca de bovino cresceram 53,9{b160333f6ceb1080fb3f5716ac4796e548b167cdf320724da9e478681421f6da} de janeiro a novembro deste ano, em relação a igual período de 2016.

Até agora, agosto foi o mês com melhor resultado nas exportações, com volume de negócios de mais de U$ 58 milhões, o equivalente a 15.867 toneladas.

De janeiro a novembro, o abate com inspeção federal totalizou 2.458.864 de cabeças, com acréscimo de mais de 22 mil cabeças na comparação com o mesmo período de 2016, quando foram abatidos 2.436.390 bovinos.

O número de abate de bovinos em 2017 garante ao estado, até o momento, o quarto lugar no ranking nacional e a liderança na Região Norte.

Mercado aquecido

Segundo o presidente da Associação Rural de Rondônia (ARR), o pecuarista Sérgio Ferreira, o preço da arroba caiu no primeiro semestre por causa da Operação Carne Fraca, da Polícia Federal, que investigou denúncias de irregularidades em frigoríficos.

Ainda de acordo com Ferreira, a volta da cobrança do Funrural também teve reflexo nos custos de produção. “Mas hoje temos um cenário bem diferente, com o mercado aquecido e os frigoríficos com escala curta.”

A pecuária é o setor produtivo mais importante do agro de RO. “O destaque da cadeia fica para os produtores que têm investido em inovação tecnológica, boas práticas agropecuárias, integração lavoura pecuária, genética, manejo de pastagem e alimentação”, assinala o secretário de Estado da Agricultura, Evandro Padovani

governo de Rondônia, acrescenta Padovani, também desenvolve ações para ampliar a participação de sua carne bovina no mercado mundial. “Continuamos com o trabalho com o Mapa para credenciar Rondônia junto à União Europeia.”

RO está se preparando para começar a implantar as ações do Programa Nacional de Febre Aftosa (Pnefa) – Plano Estratégico 2017-2026, visando à retirada gradual da vacinação a partir do segundo semestre de 2019.

“O objetivo é que tenhamos, em 2021, o certificado internacional de livre de febre aftosa sem vacinação, o que deverá abrir novos mercados”, ressalta Padovani.

Fonte: Secom/RO

Compartilhar
Mostrar mais

Notícias relacionadas

Close