Rondônia,19/07/2018
DESTAQUESGeralPecuária

Emater-RO capacita produtores para vacinação com RB51

capacitação de vacinadores para combate a brucelose

Agricultores e pequenos criadores familiares do município de Porto Velho participam de capacitação em boas práticas de vacinação em gado bovino, ministrada pelo escritório local da Emater-RO. A necessidade de capacitar os vacinadores veio com a autorização do Estado para uso da vacina RB51, cujo protocolo de uso é totalmente diferente do uso da vacina B19 já conhecida pelos produtores.

A introdução dessa nova vacina obriga o órgão fiscalizador (Idaron) e a assistência técnica prestada pela Emater-RO a capacitar tanto os vacinadores já cadastrados quanto os novos, pois todos precisam passar pela capacitação antes que se inicie a 29ª campanha de vacinação contra a brucelose, e a partir dessa campanha a marcação dos animais vacinados terá uma mudança, as bezerras vacinadas com a B19 serão marcadas apenas com o numero da era(em 2018 apenas o numero 8) e as vacinadas com a RB51 serão marcadas somente com a letra V.

A novidade exige o recadastramento dos vacinadores antigos e maiores cuidados com a formação de novos vacinadores, mas os agricultores estão atentos às mudanças, na primeira chamada para capacitação realizada nesta segunda feira dia nove compareceram 47 vacinadores.

DSC_0247
A marcação facilitará reconhecer o tipo de vacina utilizada

A liberação de uso da vacina RB51, facilita a vida daqueles produtores que por algum motivo deixaram de  vacinar algumas bezerras,  agora com a nova vacina podem imunizar essas fêmeas de bovinos, contra a brucelose, mesmo com idade vencida, enquanto que a vacina convencional b19 só pode ser usada na faixa de 3 a 8 meses vida de vida da bezerra, disse a médica veterinária da Emater-RO, Gilvania Carvalho.

Na verdade a vacina RB51 está no mercado a bastante tempo, mas haviam muitas restrições ao seu uso, por causa da pouca disponibilidade, preço mais elevado e por representar maior risco de contaminação para o vacinador, já que é resistente aos principais antibióticos da farmacologia humana, por isto, havia  a necessidade de autorização de uso por parte da agencia fiscalizadora, no caso a Idaron (Agencia de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia). É bom, no entanto, que se esclareça que permanece a obrigação de vacinação na faixa etária de 3 a 8 meses, caso perca o prazo, o produtor paga a multa e vacina com a RB51.

A liberação de o uso da vacina RB51 exige que esta seja aplicada por vacinador treinado e supervisionado por médico veterinário cadastrado no MAPA (Ministério da Agricultura e Pecuária). Ela facilita para os criadores a imunização das bezerras que passaram da idade e por algum motivo não tinham sido vacinadas, mas, os veterinários recomendam ao produtor dar preferência pela vacina B19, por causa do custo menor e porque a RB51 além de ser resistente a alguns antibióticos pode mascarar exames na analise clínica, apresentando maior probabilidade de resultados falsos positivos.

 

Texto: Enoque de Oliveira
Fotos: Robson Paiva e Irene Mendes

Compartilhar
Mostrar mais

Notícias relacionadas

Close