Rondônia,20/07/2018
ArtesanatoDESTAQUES

Rondônia Rural Show abre espaço para o artesanato rondoniense

Considerada a maior feira de divulgação do agronegócio da Região Norte, a Rondônia Rural Show, que espera movimentar mais de R$100 milhões em negócios em sua próxima edição, também se consolida como espaço para a exposição, divulgação e comercialização do artesanato rondoniense.

rogramada para acontecer no período de 23 a 26 de maio próximo, no Parque Vandeci Rack, em Ji-Paraná, a organização da 7ª edição da RR Show já completou as inscrições para a participação de 90 artesãos que processam produtos variados em couro, madeira, tecido, fibras vegetais e sementes, cipós, que são transformados em móveis, roupas, brinquedos, utensílios domésticos e acessórios para decoração.

A RRS deve reunir neste ano cerca de 430 expositores do agronegócio, indústria e comércio, agroindústria, artesanatos e as vitrines tecnológicas. Para a agroindústria e o artesanato, a coordenação disponibiliza dois pavilhões com estandes de 3×3 metros, climatizados, fornecendo translado e alojamento durante o período de realização da feira. Com a visibilidade alcançada na feira, os artesãos também se potencializam para a participação noutras feiras estaduais e em outros estados do Brasil.

De acordo com o secretário de estado da Agricultura, José Paulo Ribeiro Gonçales, que também coordena a Rural Show, além de reunir todo o segmento agroindustrial da região, a feira também abre espaço para o artesanato rondoniense, que ganha expressão no estado e se fortalece como segmento de geração de ocupação e renda. No ano passado, o segmento comercializou o montante de R$158 mil reais em produtos, e contou, inclusive, com a participação de expositores dos estados do Paraná e Mato Grosso, além de um expositor do Peru.

O artesanato é exposto nos pavilhões junto com os produtores familiares de agroindústrias, que também comercializam uma gama de gêneros como doces, compotas, iogurtes, chocolates, derivados de carne e leite, queijos e embutidos. São produtos que levam o selo de qualidade dos órgãos sanitários e outros em vias de legalização.

A coordenadora do Programa do Artesanato Brasileiro em Rondônia (PAB), da Superintendência de Juventude, Cultura, Esporte e Lazer (Sejucel), Wélida Sodré, afirma que a RRS amplia o espaço de participação dos artesãos. Eles obtêm retorno financeiro, além de reconhecimento, troca de técnicas e experiências ao participarem da feira. Para o próximo ano, ela afirma que estará conversando com a coordenação da RR Show para que estenda o horário da feira até às 20 horas, proporcionando para que as pessoas que trabalham no comércio local possam também prestigiar a feira fora do horário comercial.

Para ela, o artesanato também aproxima as pessoas, difunde a cultura, fortalece o Turismo e toda a cadeia comercial. “Dada a multiplicidade de produtos e gêneros, como a participação indígena em todas as feiras com seus produtos, rituais e danças, as atrações chamam a atenção dos demais participantes”. O segmento conta atualmente com 1300 artesãos cadastrados e muitos já comercializam seus produtos em lojas nos municípios rondonienses, noutros estados e até fora do país. Para fortalecer o segmento, a Sejucel também promoveu dez feiras regionais de artesanato no ano passado.

Texto: Mirian Franco
Fotos: Ésio Mendes

Compartilhar
Mostrar mais

Notícias relacionadas

Close