Rondônia,17/10/2018
AgronegócioDESTAQUES

Cenoura e cebola sofrem aumento de preços nas Ceasas brasileiras

Produtos comuns à mesa do consumidor brasileiro, as hortaliças cenoura e cebola tiveram alta de preços de mais de 20% e 50%, respectivamente, nas Centrais de Abastecimento do país em abril, indicando que esses produtos deverão sofrer aumentos consideráveis nos supermercados nas próximas semanas. A análise está no 5º Boletim Hortigranjeiro, divulgado nesta terça-feira (15) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Segundo o estudo, a cebola apresentou aumentos consideráveis em todos os mercados analisados e chegou a ficar 58,5% mais cara em Vitória/ES. A hortaliça também subiu de preço em mais cinco estados, como São Paulo (48,9%), Rio de Janeiro (48,5) e Recife (47,6), seguidos por Goiânia (43,7) e Belo Horizonte (26,2).

No caso da cenoura, a alta de preços percorreu quase todas as centrais, com exceção de Goiânia, onde a redução chegou a 5,79%. Os aumentos chegaram a 24,75% em Vitória, 16% em Fortaleza e 11,6% no Rio de Janeiro.

Frutas – Responsáveis pelos aumentos do mês anterior, as frutas começaram a retrair os preços em alguns estados. A banana-nanica, por exemplo, teve maior oferta nos principais centros produtores, o que refletiu na redução de preços na CeasaMinas, onde caiu cerca de 15%. Os índices também abaixaram em 9% na Ceagesp e na Ceasa Vitória. “A demanda não acompanhou o volume oferecido nesses mercados, o que gerou ainda mais competição dos próprios produtores para escoarem a produção”, explica o gerente de Modernização do Mercado Hortigranjeiro da Conab, Erick de Brito Farias.

Outro produto que promete aliviar nas prateleiras é a melancia, que teve queda de preços na Ceasa/MG, com números em torno de 14% mais baratos. Na Ceasa/GO diminuiu 8,5%, na Ceagesp, 6,77%, na Ceasa/PE, 2,5% e na Ceasa/ES, 1,6%. As leves altas ocorreram somente na Ceasa/RJ (9%) e Ceasa/CE (1,98%).

Para quem procura preços mais em conta, outras hortaliças também ficaram mais baratas, como o almeirão folha larga – “radiche” (10%), ervilha (9%), vagem (4%) e inhame (3%). Em relação às frutas, algumas estão com boas quedas de preços, como a tangerina (33%), maracujá (20%), atemoia (19%), abacaxi (14%), jaca (8%), caqui (7%), pera (5%), carambola, limão e kiwi (4%), nectarina (3%) e pêssego (2%).

Mais informações para a imprensa:
Gerência de Imprensa
(61) 3312-6338/6344/6393/2256/6364/6389
imprensa@conab.gov.br

Compartilhar
Mostrar mais

Notícias relacionadas

Close