Rondônia,17/08/2018
AgronegócioDESTAQUES

Agroindústria de pescado de Porto Velho vai expandir comercialização após receber selo SIE do governo de Rondônia

Inaugurada há pouco mais de um ano em uma área rural da zona Leste de Porto Velho, na Linha Progresso, a agroindústria Pescado Progresso, primeira unidade de beneficiamento de pescado (frigorífico de peixe) administrada pela Cooperativa Agro Verde (Coopagroverde), recebeu do governo estadual a certificação do Sistema de Inspeção Estadual (SIE) emitida pela Agência de Defesa Agrosilvopastoril de Rondônia (Idaron). O documento a credencia a estender o atendimento a todo o Estado de Rondônia, o que antes se limitava apenas à capital e distritos com o Serviço de Inspeção Municipal (SIM).

Na solenidade realizada neste domingo (10), com a presença do governador Daniel Pereira, acompanhado da primeira-dama Ester Lacerda; dos secretários estadual e municipal de Agricultura, José Paulo Gonçales e Francisco Evaldo, respectivamente, entre outros convidados, a presidente da Agroverde, Nara Regina de Souza Cruz, destacou a importância da nova documentação tanto para o crescimento da empresa quanto para atender bem com a quantidade desejada pelos clientes e qualidade certificada pelos órgãos de inspeção do município e estaduais. Ela também anunciou que a meta agora é receber a certificação do Sistema de Inspeção Federal (SIF) para também atender ao mercado nacional e num futuro

Ao participar do evento, Daniel Pereira anunciou o lançamento da GTA eletrônica

próximo extrapolar as fronteiras.

Nara lembrou que tudo começou com a criação de peixes em dois tanques, apenas, para sustento da família (ela, esposo, três filhos, nora e um cunhado). Em 2013, sob a orientação da Entidade Autárquica de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-RO), começou a entregar a produção excedente para o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e no ano seguinte foi inserida no Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), aumentando sua renda com a comercialização de peixe in natura. De uma estrutura pequena, viabilizada com o apoio do estado e prefeitura, que produzia 200 quilos por dia de filé de tambaqui, Nara conta hoje com um frigorífico dotado de todos os equipamentos necessários para o beneficiamento do peixe (tambaqui, pirarucu e pintado), desde a limpeza, passando pelos processos de evisceração, filetagem, polpa, embalagem, câmara de armazenamento, túnel de congelamento, até o transporte da produção para o mercado consumidor, formado em sua maioria por alunos das rede estadual e municipal de ensino. Segundo ela, hoje são processados mil quilos por dia. “Não costumo deixar estoque congelado por vários dias para não perder os nutrientes”, revelou.

A produção de peixes é fruto também da família em nove tanques e dos agricultores familiares da região. Para isso, é necessário que tenham as licenças ambientais e a Guia para Transporte de Pescado (GTP). “Só para a merenda das escolas do estado em Porto Velho destinamos em média 20 toneladas de peixe em seis meses”, afirmou citando também a Base Aérea como outro potencial consumidor de sua produção, com dez toneladas também em seis meses.

Além do apoio viabilizado pelo Programa de Verticalização da Produção (Prove), sob o gerenciamento da Seagri, o governador Daniel se prontificou em ajudar à cooperativa a atender ao mercado nacional e futuramente ao internacional, citando que de setembro do ano passado até agora Rondônia conseguiu dobrar a exportação de peixes para países como o Peru, atingindo metade do que foi exportado de carne bovina. Ele também adiantou que lançará, durante a Portoagro, a Feira do Agronegócio de Porto Velho, prevista para o período de 29 de agosto a 1º de setembro, o Guia para Transporte de Animal (GTA) eletrônica, com vistas a agilizar o serviço.

Texto: Veronilda Lima
Fotos: Daiane Mendonça

Compartilhar
Mostrar mais

Notícias relacionadas

Close