Rondônia,20/09/2019
DESTAQUESGeralOutras

Mais de 50 técnicos do Estado participam de curso de Geotecnologias e Ferramentas de Gestão do Território do projeto Plantar

Os técnicos precisam ter noção dessas ferramentas e de como serão os processos de recuperação junto ao produtor

Foi concluído nesta sexta-feira, em Porto Velho, o curso de Geotecnologias e Ferramentas de Gestão do Território, voltado a técnicos da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Rondônia (Emater-RO) e Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam). O curso é uma atividade do projeto Plantar, que visa a implementação do Programa de Regularização Ambiental em 12 municípios, Outros cursos também foram realizados em Ji-Paraná e Rolim de Moura.

Dentro do processo de implementação do PRA está a elaboração do Projeto de Recuperação de Área Degradada e/ou Alterada (PRADA). O PRADA orientará como será o trabalho em cada propriedade com passivo ambiental. “Os técnicos precisam ter noção dessas ferramentas e de como serão os processos de recuperação junto ao produtor. As informações de georreferenciamento apoiarão a tomada das melhores decisões para cada caso,” explica Fabiana Barbosa, coordenadora de Geotecnologias do Centro de Estudos Rioterra.

As ferramentas trabalhadas durante os quatro dias de curso foram o uso de GPS e os programas Quantum Gis, que processamento de informações espaciais e uso de imagens feitas por sensoriamento remoto, o TrackMaker e Google Earth Pro, programas utilizados para transferência de dados de GPS coletados em campo para edição.
São 12 municípios atendidos pelo Plantar em Rondônia e mais de 50 técnicos participaram dos cursos, que tiveram duração de quatro dias. Num segundo momento, a atividade será estendida a técnicos das prefeituras que estão na área de abrangência do projeto Plantar.

Pioneiro no país, o Plantar é executado pelo Centro de Estudos Rioterra em cooperação com a Ação Ecológica Guaporé – Ecoporé e Federação dos Trabalhadores na Agricultura de Rondônia, em parceria com a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental – Sedam e apoio financeiro do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES através do Fundo da Amazônia.

Fonte: Rioterra

Compartilhar
Mostrar mais

Notícias relacionadas

Close