Rondônia,19/09/2020
DESTAQUESGeralOutras

Políticas agrícolas para Florestas Plantadas no Estado definidas como uma das prioridades do governo

Floresta plantada gera emprego e renda

As discussões voltadas para políticas agrícolas direcionadas à floresta plantada em Rondônia são apontadas com uma das prioridades do governo do Estado com atenções nas medidas específicas ao fortalecimento do segmento no Estado, com intuito de promover a recuperação de áreas degradadas.
O tema voltou à tona este ano durante reunião entre o vice-governador, José Jodan; o secretário de Agricultura do Estado, Evandro Padovani; representantes da Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastorial (Idaron); Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sedam); técnicos e empresários do setor de laminados do Estado, que estudam a viabilização de reestruturas para o setor.

O Brasil possui uma das maiores áreas florestais do mundo e abriga seis biomas continentais possuindo uma biodiversidade imensurável com cerca de 58% de cobertura florestal naturais e plantadas. O foco do governo do Estado é promover a recuperação de áreas degradadas e, nesse sentido, a Seagri busca criar uma proposta de projeto de fomento da espécie Pinho Cuiabano em área consolidada em Rondônia.

As medidas vão em consonância ao Primeiro Encontro de Florestas Plantadas, realizado no mês de novembro do ano passado, no município de Cacoal – denominado AgroFloro – que apresentou como meta a elaboração do mapeamento das melhores áreas para os plantios, bem como uma atenção especial aos pequenos produtores rurais.

A Seagri por ser membro do Conselho Estadual de Políticas Agrícolas para Florestas Plantadas (Consepaf) busca com a Sedam e demais órgãos responsáveis a desburocratização no estabelecimento de licenciamentos e autorizações simplificadas para a exploração econômica da espécie Pinho Cuiabano ou Paricá em ambientes de floresta, como forma de fomentar a criação de um marco jurídico geral (lei estadual) e consequentemente a regulamentação de um decreto que possibilite incentivos fiscais e tributários para fortalecer a atividade de fomento e reposição florestal e o acesso ao crédito ao produtor rural com taxas atrativas de acordo com a realidade do homem do campo.

A floresta plantada pode ser vista como uma solução sustentável no combate ao desmatamento, pois, além de suprir as necessidades econômicas, minimiza a procura por madeira extraída de forma ilegal e fomenta a economia de várias setores da agroindústria do Estado.

Conforme destacado pelo secretário da Seagri, Evandro Padovani, trata-se de uma oportunidade de negócios para todos os produtores rurais, independentemente do tamanho de sua propriedade. “Temos que fomentar o plantio de florestas de forma sustentável. Queremos que os rondonienses enxerguem isso como uma grande oportunidade de negócios, uma aposentadoria programada”.

Fonte
Texto: Secom
Fotos: Frank Nery
Secom – Governo de Rondônia

Mostrar mais

Notícias relacionadas

Close