Rondônia,04/04/2020
AgronegócioDESTAQUESPecuária

Zootecnista pesquisadora da Embrapa testa benefícios da desmama lado a lado

Segundo a zootecnista, o principal evento que traz estresse na pecuária de corte é, justamente, a desmama. Tanto para a vaca, quanto para o bezerro.

A pesquisadora da Embrapa Pecuária Sudeste, zootecnista Cíntia Righetti Marcondes, está pesquisando os benefícios da desmama lado a lado, técnica baseada nos estudos de Temple Grandin, pesquisadora referência mundial em bem-estar animal. As informações são do Giro do Boi.

“Inspirados pela vinda da Temple em 2014, quando ela veio para um evento em Ribeirão Preto (SP), do qual a gente participou, e também com depoimento de alguns criadores que naquela época já aplicavam nas fazendas a desmama racional, eu resolvi trazer pra cá esta prática e a gente está adorando, achando muito bacana e tendo bons resultados”, explicou.

Segundo a zootecnista, o principal evento que traz estresse na pecuária de corte é, justamente, a desmama. Tanto para a vaca, quanto para o bezerro.

“Isto vai afetar o ganho de peso dele da desmama até os 12 meses”, relembra.

Na entrevista, Cíntia lembrou que os problemas da separação abrupta dos bezerros de suas mães com o método de desmama tradicional na Embrapa Pecuária Sudeste, ainda em 2013, foram superados logo no ano seguinte – e a nova técnica já surtiu efeitos que impressionaram os pesquisadores.

No sistema de desmama lado a lado, é montado um sistema com dois piquetes próximos, com um corredor no meio, o que permite que a vaca e o bezerro mantenham comunicação, vocalização e olfato inclusive, um berra e o outro responde.

“Eles ficam neste piquete por 15 dias, mas ali na primeira semana eles já começam a explorar a área e cada um vai seguir sua vida. A gente deixa por 15 dias, mas também cada fazenda sabe como incorporar esta prática, em que pasto e que estrutura tem pra poder fazer isso”, explicou.

Segundo Cíntia, quando os técnicos usavam um sistema mais rústico, a pasto e sem suplementação, durante a desmama tradicional os bezerros, normalmente, não ganhavam peso neste período devido ao estresse e às condições ambientais.

“Quando a gente adotou esta prática [lado a lado], no ano seguinte a gente já observou que a média de ganho de peso dos bezerros foi de cinco quilos, ajustando aí para macho e fêmea”.

EM TODA FAZENDA

Segundo a pesquisadora, o sistema de desmama lado a lado pode ser incorporada facilmente dentro da realidade de grande parte das fazendas de cria no Brasil.

“A ideia é, na data da desmama, fazer tudo que precisa ser feito: vermifugação, vacina, pesagem, e já trazer [os animais] para estes piquetes próximos e ali eles mantêm este contato e têm esta redução deste período que é o mais estressante mesmo”.

O estudo segue sendo desenvolvido e, segundo a zootecnista, em suas próximas etapas serão avaliados os efeitos da desmama com vaca madrinha e da suplementação ao longo do processo.

Por 

Compartilhar
Mostrar mais

Notícias relacionadas

Close