Rondônia,09/08/2020
BrasilDESTAQUESGeralOutrasWorld

UE contribui com € 15 milhões para combater gafanhotos

Apoio é destinado para a FAO

Para ajudar a combater o surto de gafanhotos do deserto na África Oriental, a União Europeia contribuiu com 15 milhões de euros para a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO). Segundo a FAO, o gafanhoto do deserto é considerado a praga migratória mais destrutiva do mundo, já que um pequeno enxame cobrindo um quilômetro quadrado pode comer a mesma quantidade de comida em um dia que 35.000 pessoas.

A Comissão Europeia informou que alocou recursos para apoiar a agência da ONU e os países parceiros no combate aos piores surtos de gafanhotos do deserto vistos na região em décadas. Os fundos vieram da Direção Geral de Cooperação e Desenvolvimento Internacional da Comissão Europeia (EU DEVCO). A UE fez uma contribuição anterior de 11 milhões de euros para o apelo de gafanhotos em fevereiro.

“Quero agradecer à União Europeia por sua generosa contribuição e apoio contínuo”, disse QU Dongyu, diretor geral da FAO. “A batalha contra os gafanhotos do deserto é longa e está longe de terminar – o apoio sustentado é crítico se queremos conter essa ameaça de pragas”, completa.

De acordo com a FAO, seu apoio ajudou a matar quase meio trilhão de gafanhotos no Chifre da África e no Iêmen em operações de controle desde janeiro e 1 milhão de toneladas de colheitas foram poupadas da devastação. Embora as operações de controle expandam 500.000 hectares, as fortes chuvas durante a primavera criaram condições ideais para a reprodução e a potencial destruição causada pelos enxames de nova geração ainda pode provocar uma crise humanitária, à medida que novos enxames atingem a Etiópia, Quênia, Somália, Sudão e Iêmen.

Por: AGROLINK –Leonardo Gottems

Mostrar mais

Notícias relacionadas

Close