Rondônia,02/12/2020
BrasilDESTAQUESGeralOutras

Adolescentes consomem mais legumes na pandemia

Venda desse tipo de alimento aumentou desde o início da quarentena

Os adolescentes brasileiros passaram a consumir mais legumes durante a pandemia, de acordo com o estudo “Covid-19 Confinement and Changes of Adolescent’s Dietary Trends in Italy, Spain, Chile, Colombia and Brazil”. Artigo publicado no periódico científico Nutrients mostrou os resultados do estudo que descreveu as mudanças na dieta durante o confinamento de adolescentes entre 10 e 19 anos de idade e identificou os fatores que podem ter influenciado as alterações.

Os brasileiros se destacaram pela maior média de ingestão de legumes do que os jovens de outros países durante a pandemia, com cinco porções por semana. “O Brasil já é um dos países em que os adolescentes apresentam um consumo melhor de hortaliças e menor de alimentos ultraprocessados (26% em 2018), quando comparado a países de alta renda (66%) e ao Chile (29%), país latino-americano que aparece na pesquisa e do qual dispomos de dados recentes”, conforme comentou a pesquisadora Letícia Cardoso, participante do estudo.

De acordo com a cientista da Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp/Fiocruz), é importante gerar estudos futuros de larga escala que analisem hábitos alimentares para encorajar a adoção de hábitos alimentares saudáveis entre adolescentes, especialmente depois deste período de confinamento.

“Entender os hábitos de nutrição dos adolescentes durante o isolamento pela pandemia de covid-19 vai ajudar as autoridades sanitárias a remodelar futuras estratégias para as recomendações nutricionais, na preparação para futuras pandemias”, registra o artigo, que também teve a participação de Patricia Padilha, professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

MUNDO

Com relação ao padrão de consumo de hortaliças e frutas entre os adolescentes nos países estudados, a pesquisa mostra que 43% deles consumiram vegetais todos os dias durante o confinamento, contra 35,2% que consumiam antes. Da mesma forma, apenas 25,5% dos adolescentes pesquisados consumiram pelo menos uma peça de fruta por dia antes do Covid-19, contra 33,2% durante o confinamento. “Esses resultados não surpreendem, pois a venda desse tipo de alimento aumentou desde o início da quarentena, e a população teve mais tempo para cozinhar em casa”, explicam as autoras do estudo.

Os dados foram coletados por meio de questionário anônimo sobre ingestão de alimentos entre 820 adolescentes da Espanha, Itália, Brasil, Colômbia e Chile.

 

Por: AGROLINK –Leonardo Gottems

Mostrar mais

Notícias relacionadas

Close